quarta-feira, 30 de maio de 2007

Maldito sejas sindicalismo!

Nada contra os sindicatos, as reivindicações, as palavras de ordem gritadas em uníssuno em frente da assembleia da republica e cenas assim, mas uma greve geral é coisa que me chateia. A mim e a qualquer pessoa que na realidade não faz greve. Porque somos nós (trabalhadores satisfeitos ou os já resignados) que temos de arcar com as consequencias do evento.

Balanço da greve até ao momento:

O autocarro do costume de manhã nem vê-lo! 15 minutos na paragem a espera de outro.

Estação de metro a abarrotar, pessoas com o habitual bom-humor matinal a barafustar porque estão a espera a muito tempo, e porque "isto é uma vergonha" . Metro cheio... tão cheio que por segundos penso que não vou conseguir.
Consegui. Espalmada contra a porta com a mala de uma senhora a espetar-me nas costelas, mas consegui.

Acabado o suplicio da viagem, faço o percurso para o trabalho em passo acelerado porque está quase na hora. Sou forçada a dispensar da tão necessária dose de cafeína matinal porque não há tempo para esses devaneios. Tá-se mesmo a ver que vai ser um dia bem passado...

Chego ao trabalho: são 8.57 horas. Ufa, safei-me. E fui a primeira a chegar!

Enfim...

1 comentário:

Cesar disse...

the horror... the horror...